Mais Recentes:

O Destino de Júpiter - Avaliação!

Andy e Lana Wachowski revolucionaram o cinema com Matrix em 1999, depois disso ambos ficaram conhecidos por este feito. Fizeram mais 2 filmes Matrix, Speed Racer e Cloud Atlas, a partir daí os irmãos passaram a ser conhecidos pelos fracassos de crítica e bilheteria e seus filmes ficaram marcados pelo visual extravagante típico dos filmes dirigidos pelos mesmos.  Os irmãos alegam que as pessoas não conseguem entender seus filmes (puro estrelismo em minha opinião) e que somente enxergam seus efeitos visuais.


Agora os irmãos Wachowski tentaram uma "última" (devem haver outras) cartada nos cinemas com O Destino de Júpiter (Jupiter Ascending). Mais uma vez falharam, desta vez adotando o método Christopher Nolan de se fazer filmes, ou seja, explicando e reexplicando várias coisas. Antes não tivessem adotado tal estilo, o filme foi "mastigado" em muitos momentos, mas em outros não foi explicado nenhum pouco, e isso prejudicou o entendimento do filme e o desenvolvimento dos personagens. Desenvolvimento dos personagens aliás foi um dos erros mais graves do filme, Jupiter (Mila Kunis) a personagem principal do filme e Caine (Channing Tatum), uma espécie de guarda costas de Jupiter, foram os que mais sofreram com esta falha.


Na trama Jupiter é a "reencarnação" de uma rainha do clã "Abrasax" de Jupiter (o planeta), Caine é enviado à Terra para localizar Jupiter e levá-la à Jupiter (planeta). Lá ela descobre que a Terra é uma espécie de fazenda e nós humanos somos o "fruto" a ser colhido. Há alguns anos os Abrasax e muitos outros clãs descobriram como rejuvenescer as células de um corpo utilizando outros corpos mortos. Nós, os frutos da colheita somos a matéria prima utilizada para rejuvenescer as pessoas de outros planetas. Jupiter então descobre ser a herdeira da Terra e que somente ela pode evitar que ela seja "colhida".


Quando Caine e Jupiter se encontram os problemas aparecem, eles não tem química alguma e essa falta de química é o que faz com que nós não consigamos entender como eles se apaixonam, não há motivos, não há pistas, apenas acontece. As cenas onde ambos não estão contracenando são ótimas, mas quando estão juntos é decepcionante. O recado que o filme passa desta vez ficou claro, mas foi repetido diversas, não bastasse Titus (Douglas Booth) dizer que "O tempo é o bem mais valioso do universo e para conseguir mais, vale tudo, até mesmo matar!" ou que mostrem exaustivamente que as pessoas se usam e vivem passando por cima de outras para conseguirem o que quiser. A causa vegetariana também é mostrada por Titus quando ele diz a Jupiter que cerca de 100 humanos são usados para gerar um frasco para rejuvenescer alguém "São apenas produto, como vocês fazem com o gado".


Após tudo isso o que prevalece novamente é o visual do filme, Channing e Mila voltam a atuar juntos e nem mesmo a boa atuação de Eddie Redmayne consegue salvar o filme que passa sua mensagem, mas não da forma correta. Talvez O Destino de Jupiter seja o filme certo, mas não veio no tempo certo, já observamos algo parecido com Blade Runner de Ridley Scott. E aos Wachowski só resta esperar e rezar para que isto ocorra, caso contrário o fracasso será deles novamente.

Nota: 4,0 (regular)

Por: Gustavo Lopes
Share on Google Plus