Mais Recentes:

Shaun, o Carneiro - Avaliação

O stop motion, técnica de animação onde normalmente se utiliza câmeras fotográficas para registrar o longa, é uma das técnicas mais antigas do cinema, diversos filmes já apelaram para esta técnica fantástica, contudo com o tempo ela veio perdendo a força e pouco a pouco a computação gráfica vem tomando o espaço do stop motion e com isso o cinema perde muito da sua essência. Filmes como Shaun, o Carneiro de certa forma tentam trazer de volta essa essência perdida.


A problematização do filme acontece de maneira rápida e temos que elogiar o filme neste ponto, já que muitos filmes vem tendo problemas com este quesito, pois hora o desenvolvimento é rápido demais e hora é lento demais. Shaun (peço licença para chamá-lo assim de agora em diante) apresenta seus personagens, os desenvolve, cria a problematização e a resolve em um tempo que beira a perfeição. E por mais que seus personagens não falem (pelo menos não em nosso idioma), o entendimento é perfeito, mais um poto positivo para o filme, que consegue além de resgatar o stop motion, resgatar também elementos do cinema mudo. O modo que o filme aborda a cidade grande e a as pessoas que lá residem é fantástico, uma crítica muito bem feita e apesar de estampada à todos, também é muito sutil.


Tudo começa quando Shaun começa a sentir o peso da rotina sobre si, o carneirinho então tem uma ideia, tirar um dia de folga após muitos anos de serviço. O que era pra ser só descanso e diversão acaba se tornando uma enorme confusão quando o fazendeiro acaba sofrendo uma acidente e perdendo a memória. Após um momento de desespero, Shaun decide ir até a cidade grande procurar e trazer de volta o fazendeiro sozinho, porém família unida permanece unida, seus familiares o seguem e a aventura começa. Neste ponto é possível ver a semelhança com dois grandes filmes de animação deste ano, "Minions" e "Divertida Mente", dois opostos na área da animação, Shaun consegue extrair o melhor dos dois. A proposta de Minions (comédia simples e visual) e a comédia e drama (a alternação entre os dois, sem que um acabe perdendo o efeito em detrimento do outro) de Divertida Mente.


O vilão do filme também é bem desenvolvido e com um toque de genialidade, torna-se uma metáfora para ser aplicada aos humanos reais. O ponto forte de Shaun coincide novamente com Divertida Mente, a abordagem da mente humana, apesar de não ter sido destrinchada como no filme da Pixar (e essa nem era a proposta do filme), é muito bem feita e o desbloqueio de memória acarretado pelas emoções do fazendeiro é algo que nos emociona.


Em muitos aspectos Shaun é um filme para adultos (no sentido de complexidade), mas em muitos outros é um filme extremamente simples de se entender e muito fácil de assimilar. A temática do filme atrai , o visual também, a técnica "milenar" de animação (muito bem feita por sinal) também atrai, pode-se dizer que Shaun, o Caneiro é um filme feito para agradar a todos e que certamente agradará!

Nota: 9,0

Por: Gustavo Lopes
Share on Google Plus