Mais Recentes:

Homem-Formiga - Avaliação

Em um ano praticamente sem concorrência para o Marvel Studios (já que a FOX produz filmes da Marvel Comics) uma dúvida pairou sobre o mundo nerd, a dúvida em questão era a qualidade do novo filme de herói da Marvel, o Homem-Formiga. O filme estava em desenvolvimento há anos e Edgar Wright estava trabalhando no longa, com isso os fãs ficaram tranquilos, mas uma notícia pegou todos de surpresa, Wright foi demitido pelo estúdio e em seu lugar assumiu Peyton Reed, os fãs prontamente torceram o nariz para a escolha. Wright já estava familiarizado com o personagem, tirá-lo do filme seria como separar um pai de seu filho e colocar um "substituto" qualquer que nem ao menos sabe como é o filho. Porém, Redd aprendeu rápido e provou aos fãs que em time que está ganhando se mexe sim.


A maior "briga" entre a Marvel e Wright era o fato de os filmes terem que estar ligados para formar o universo cinematográfico Marvel. Wright não concordava com isso e não cedeu, portanto a Marvel o dispensou do projeto. Reed aceitou as imposições da Marvel e nos pontos de reclamação do estúdio para com Wright ele construiu os pilares que sustentariam o longa, uma decisão bastante acertada do diretor que conseguiu fazer um filme dinâmico, com muita ação, humor, ciência e até mesmo uma pitadinha de drama familiar. Para dar o toque final a Marvel colocou Paul Rudd para roteirizar e ser o Homem-Formiga, outra decisão acertada do estúdio. Rudd conseguiu algo que até o momento só Robert Downey Jr. havia conseguido, modificar um personagem, não irritar os fãs e ganhar a simpatia dos mesmos. O homem-formiga tornou-se um alívio cômico ambulante e neste sentido vale relembrar que nem todos os diretores sabem equilibrar a balança do alívio cômico (Homem de Ferro 3 tá aí pra provar), mas o equilíbrio ficou tão bom quanto os últimos filmes do estúdio.


A história do filme é diferente da das HQ's, onde Hank Pym (Michael Douglas) era o Jaqueta Amarela, no filme optaram por deixar a nova geração "cair na porrada" fazendo com que os dois "pupilos" de Pym se enfrentassem, sendo Scott Lang o Homem-Formiga e Darren Cross (Corey Stoll) o Jaqueta Amarela. Há uma certa homenagem às HQ's, é deixado no ar que Hank tem algo de mau dentro de si e que este mau seria decorrente do soro criado por ele (algo que ocorre nas HQ's), outra homenagem às HQ's é o aparecimento da Vespa e o fato dela ser a mulher de Hank. O drama familiar do filme foi bem posicionado, porém resolvido às pressas no caso de Hope (Evangeline Lilly) e Hank, mas em contrapartida muito bem desenvolvido no caso de Scott/Homem-Formiga e Cassie (Abby Ryder Forston). Se houve correria no drama, não podemos dizer isso da jornada de aprendizagem de Scott para tornar-se o herói, que foi muito bem retratada, com ele aprendemos junto e todas as justificativas foram plausíveis.


Voltando ao alicerce, a participação do Falcão (Anthony Mackie) no filme foi muito bem colocada e isso já dá o gancho para a inserção do novo herói na equipe de heróis da Marvel. As menções à equipe de heróis e a alguns heróis foram bem encaixadas e não pareceram estar ali puramente para ligação, elas faziam parte da narrativa e isso apenas ajudou a fortalecer o universo Marvel nos cinemas. Ao final temos a convocação "oficial" e a mensagem que todos queríamos ver ao fim do filme: O Homem-Formiga irá retornar!

Nota: 8,5 (Ótimo)

Por: Gustavo Lopes
Share on Google Plus