Mais Recentes:

Maze Runner: Prova de Fogo - Avaliação

O povo versus o sistema, normalmente é disso que se tratam os novos filmes voltados para o público jovem, Maze Runner não é exceção neste ponto, contudo sua crítica, apesar de bem estruturada acaba se perdendo em meio a distopia global que reina no mundo de Thomas (Dylan O'brien) e companhia. O filme começa praticamente do ponto onde Maze Runner: Correr ou Morrer (leia nossa crítica) parou, a exceção de uma cena onde podemos ver Thomas e sua mãe.


A distopia aparece verdadeiramente pela primeira vez na franquia, já que no primeiro filme o que tivemos foi apenas um vislumbre do que estaria por vir em Prova de Fogo. O desenvolvimento e problematização do filme acontece bem rápido, um novo local e novas pessoas nos são apresentadas. E assim como os personagens, logo desconfiamos do lugar e das pessoas, rapidamente percebemos que nossa desconfiança realmente tinha fundamento. E quando Thomas e companhia se lançam ao deserto, a franquia começa a mostrar a que veio. Descobrimos então que o mundo agora está cheio de "zumbis" que foram atingidos por uma doença misteriosa, conhecida como Fulgor.


Os princípios dos zumbis aparecem rapidamente, os infectados aparentemente se alimentam de pessoas saudáveis e suas mordidas acabam por infectar outras pessoas. O filme conta com ação do início ao fim, mas em um nível moderado (aprenda Michael Bay), há muitas cenas de tirar o fôlego e muitos sustos também, alguns deles dignos de filmes de terror. Nesse sentido percebemos que "Prova de Fogo" se difere em muito de "Correr ou Morrer", enquanto a aura de mistério era o carro chefe do primeiro, a ação é o que dá o tom à este. A previsibilidade ainda é um problema, o filme por mais que tente, não consegue nos enganar, os personagens por vezes fazem exatamente aquilo em que pensamos, e no restante das vezes fazem algo parecido. Mas apesar disso, são bem desenvolvidos e se mostram bastante constantes, não deixando suas crenças e valores de lado.


E por falar em valores, é aí que conseguimos notar que o filme trata de uma luta muito comum nos dias de hoje. O povo versus o sistema, de um lado temos a CRUEL, que afirma querer o bem de todos, mas para alcançar este bem, utiliza de meios discutíveis, e do outro temos o Braço Direito, que aparentemente quer a mesma coisa que o seu inimigo, mas se utiliza de meios mais humanos para tal. A relação disto com os dias atuais é notável, onde diversos governos tomam medidas discutíveis e são abraçados por muitos e odiados igualmente, o filme tenta ilustrar esse atual estágio da humanidade. Onde uns sempre estarão de um lado haja o que houver e outros sempre serão do outro, mesmo que eles não saibam contra o que exatamente elas lutam.


Maze Runner: Prova de Fogo tenta ilustrar de uma forma mais radical os problemas do dia a dia da nossa geração. Qual lado devemos escolher? Intuitivamente aderimos à causa de Thomas e seu grupo, contudo o filme não nos dá informação suficiente para que saibamos de qual lado a razão se encontra. E é aí que está o ponto forte do filme e o ponto de reflexão ao qual o filme nos leva. Você é capaz de escolher um lado mesmo sem saber de ambas as histórias? Tanto Thomas, quanto seus amigos são capazes de fazer esta escolha, resta agora saber se existe um lado certo, e qual dos dois é ele!

Nota: 8,0 (Ótimo)

Por: Gustavo Lopes
Share on Google Plus